Sete passos para Desenvolver o Amor Próprio

O amor próprio é uma ação, não um estado de bom senso.

Falar sobre amor próprio, me parece que tem sido a necessidade do momento. Diversos livros têm se dedicado ao tema. É muito comum utilizarmos em nosso meio social frases de aconselhamento do tipo “você precisa se amar mais”, “você precisa se valorizar”, ou ainda “você não pode amar outra pessoa enquanto não se amar primeiro.”

Não há dúvidas de que o amor próprio é importante para a nossa vida. Ele influência quem você escolhe como companheiro, influência a imagem que você projeta no trabalho e como você lida com os problemas de sua própria vida. Porém, embora muitos falem sobre a necessidade de cultivar o amor próprio, poucos falam como fazê-lo.

É meu objetivo aqui ajudá-lo a encontrar o caminho para semear e cultivar o amor próprio a tal ponto que sua vida possa ser influenciada e você possa viver mais feliz.

O que é amor próprio então? Seria algo que você pode comprar em um salão de beleza ou em um lançamento de uma peça de roupa? Será que conseguimos o amor próprio lendo sobre isso em livros de auto-ajuda? Será que podemos aprender a nos amar mais em um novo relacionamento? A resposta a todas essas perguntas é apenas uma: Não!

Embora todas essas atividades sejam boas coisas a se fazer, não é possível encontrar o amor próprio através delas. Pois o amor próprio não é um estado de espirito. É muito mais do que isso.

Amor próprio é um estado de apreciação de si mesmo que cresce a partir de ações que sustentam nosso crescimento físico, psicológico, social e espiritual. O amor próprio é dinâmico; cresce por ações que nos amadurecem.

Quando agimos de maneira a expandir o amor próprio começamos a aceitar melhor as nossas fraquezas, bem como as nossas forças, temos menos necessidades de explicar as nossas faltas, temos mais compaixão de nós mesmos e aceitamos que, como seres humanos, somos falhos. Lutando para encontrar um significado pessoal ficamos mais centrados em nossos propósito e valores da vida e esperamos a realização da vida por meio de nossos próprios esforços e não ficamos dependentes de outras pessoas.

Poderia aqui explicar a origem do amor próprio e conceitos psicológicos que teriam pouco proveito prático para o senso comum, por isto, vou me atentar apenas as questões praticas de como podemos desenvolver o amor próprio.

Os Sete passos para Desenvolver o Amor Próprio:

  1. Aprenda a olhar para si mesmo.

Quando aprendemos a olhar para nós mesmos, ao invés de olhar para as outras pessoas, aprendemos muito sobre a verdade de quem somos. Entramos em contato com nossas crenças, com nossos pensamentos, sentimentos e vontades. Nos tornamos mais conscientes de nossa identidade e agindo com este conhecimento nos libertamos das expectativas de outras pessoas, para nos deter àquilo que realmente somos.

  1. Foque naquilo que precisa e não naquilo que quer.

Você se ama quando tem a capacidade de se afastar daquilo que te prende emocionalmente para aquilo que você precisa para se manter forte, centrado e seguir em frente em sua vida. Ao ficar focado no que você precisa, você se afasta dos padrões de comportamento automáticos que o levam a problemas e mantém você preso no passado, diminuindo o amor próprio.

  1. Cuide de você

Você vai se amar mais, quando cuidar melhor de suas necessidades básicas. As pessoas de elevado amor próprio cuidam de si mesmas diariamente, através de uma alimentação saudável, exercício físico, sono adequado e interações sociais satisfatórias.

  1. Definir limites.

Precisaríamos de um artigo inteiro só para falar deste item. Você se amará mais quando aprender a dizer não. Devemos estabelecer limites em todas as áreas de nossa vida. Quando nos afastarmos de pessoas toxicas e delimitarmos os nossos próprios limites.

  1. Proteja-se

Traga as pessoas certas para a sua vida. Adoro o termo frenemies que aprendi com meus pacientes mais novos. Ele descreve bem o tipo de “amigos” que se deleitam com sua dor e sua perda, em vez de sua felicidade e sucesso. Minha sugestão para você aqui é: Livre-se deles! Não há tempo suficiente na sua vida para desperdiçar com pessoas que querem tirar o brilho do seu rosto que diz: “Eu realmente amo a minha vida!”

  1. Perdoe-se

Nós, humanos, somos tão autocríticos. A desvantagem de assumir a responsabilidade por nossas ações é punir-nos demais por erros na aprendizagem e no crescimento. Você tem que aceitar sua humanidade (o fato de que você não é perfeito) antes de realmente se amar. Pratique ser menos crítico quando comete um erro. Lembre-se, não há falhas, se você aprendeu e cresceu a partir de seus erros; só há lições aprendidas.

  1. Viva intencionalmente

Você vai se aceitar e se amar mais, independente do que quer que esteja acontecendo em sua vida, quando você estiver alinhado com propósito de sua vida. Se a sua intenção é viver uma vida significativa e saudável, você tomará decisões que apoiem essa intenção e faça com que você se sinta bem consigo mesmo. Você vai se amar mais quando estiver realizando o seu propósito de vida.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s