Abra suas caixinhas!

Cada um de nós tem uma vida cheia de histórias que nos fazem o que somos hoje. Histórias divertidas, histórias lindas, histórias de conquistas, histórias secretas, que nos fazem rir, nos fazem chorar, nos fazem sentir saudades, não importa o tempo, nem o lugar.

Mas nem sempre temos na memória uma vida só de alegrias e coisas belas. Muitos de nós carregamos histórias que gostaríamos de não lembrar. Sofrimentos, perdas, derrotas, que nos causam dor e pesar.

Algumas delas nos fizeram mais fortes e mais preparados para enfrentar o mundo e aquilo que ele oferece. Porém, existem algumas histórias em nossas vidas que foram demais! Sofrimentos pesados demais! Dores fortes demais! Não havia como suportar, pois não tínhamos idade, maturidade, estrutura para lidar com tudo. Desses acontecimentos nasceram traumas.

A psicologia define o trauma psicológico como uma consequência de um choque emocional violento capaz de produzir efeitos sobre a mente como um todo. O trauma pode ter origem em uma única história ou da somatória de experiências de grande impacto emocional que se fixam e não conseguem ser elaboradas pela estrutura emocional.

De forma geral, cada um de nós, faz um grande esforço mental para esquecermos destes traumas. Colocamos eles dentro de pequenas caixas, amarramos com quantos nós forem possíveis e escondemos na gaveta mais distante de nossa consciência. E então seguimos com a nossa vida, como se tudo aquilo que passamos não existisse mais.

Acontece que estas caixinhas podem estar trancadas no mais profundo de nosso ser, ainda assim, mesmo que não sejamos conscientes disto, os traumas influenciam a nossa vida, senão pelas lembranças dolorosas que carregamos, pela forma como elas atuam em nossa forma de ver o mundo e as pessoas que vivem ao nosso redor.

Algumas pessoas sofreram abusos físicos, outros abusos emocionais, outros ainda abusos sexuais. Alguns foram abandonados por seus pais, talvez não de maneira física, mas suas necessidades emocionais e psicológicas nunca foram consideradas e a sensação que eles têm é de um mundo extremamente hostil e que não valoriza os seus pensamentos e ideias.

Não conseguem se entregar a nenhum tipo de relacionamento e estão sempre desconfiados de que alguém lhes ameaça à integridade. Talvez a causa desta dificuldade não seja perceptível, mas é visível que não tem verdade em seus relacionamentos e que a superficialidade relacional domina todas as suas relações. Tem a sensação de que a vida poderia lhes oferecer mais nos relacionamentos, mas aprendem a viver dessa forma e acreditam que assim é.

A menos que abram as suas caixinhas e coloquem para fora aquilo que lhes insiste em machucar não podem viver relacionamentos plenos. Precisam elaborar as histórias passadas e aprender com elas. Ninguém aprende com histórias que desejam não lembrar.

Talvez naquela época você não tinha maturidade ou estrutura para aguentar. Talvez naquela época você não tinha ninguém em quem pudesse confiar. Mas hoje, se a situação ao seu redor não mudou, você mudou! Se o seu ambiente não é mais desenvolvido do que era antes, você cresceu. Você não é mais aquela criança e precisa abrir as caixinhas para poder viver plenamente os seus relacionamentos.

Abrir as caixinhas de nossa mente não é fácil. Muitas vezes existe a necessidade de um acompanhamento psicológico. Mas é muito mais fácil do que passar toda a vida sem conseguir estabelecer nenhum relacionamento verdadeiro.

Por isto abra as suas caixinhas e seja feliz!

Categorias:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s